terça-feira, 19 de janeiro de 2016

CHUCHU VAVA, LAVA CHUVA

Postado por Rafaela A. Peres às 14:00
No asfalto espelhado, a menina detalhista pula a poça e enxuga o sapato, com o poste iluminando o garotinho ajeita o cabelo molhado e continua se ensopando, já a senhora espera a chuva passar.
-Olha o guarda chuva pendurado no seu pulso. Grita de longe a mãe do menino
A coitada não entende que chuva não se guarda, a chuva afoga quem sabe aproveitar.
"Chuchu vava"" lava chuva" cantava o garotinho, girando no asfalto.
Ahh... Sortudo.... A chuva que o molha já molhou Cícero e Ester em seu primeiro beijo, a água que cai em seus ombros já banhou a rosa do jardim de Dona Silva, e cada pingo que escorre em seu rosto, já deixou tio Juca bravo, o humor de Juca era igual o da mãe do menino.
Índio dança na chuva, criança brinca na chuva, gente grande corre da chuva, a graça dá trabalho e o tempo corre.
-Deixa o menino Nastacia. -Fala o pai do garoto (Responsável coerente, contente).
De longe a mãe do rapazinho viu ele ralando o joelho, e correu pra ajuda-lo a levantar, o pai correu atrás da mãe, alguém no telefone queria falar com ela. A ligação se encerrou de repente, e a família? Se inundou de gotas mas se regaram de alegria.
A chuvarada é boa quando não é dilúvio, feliz também foi a viúva que se casou no sol e na chuva, e quem mais se deu bem foi o espanhol que se casou na chuva e no sol.
Em um casamento de dizeres e palavras contadas, todos são reféns das gotículas umedecidas, mas só alguns sabem a granjear.
E você? Concorda que se está na chuva é pra se molhar?
--------------------------

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google Buzz Share to Orkut Mais...

0 comentários:

Postar um comentário

 

MINHA VERSÃO DAS COISAS | Template por Ipietoon | Editado por Carlook Gizbert